Novidades

Hawk-Eye, o sistema por detrás da tecnologia da linha de golo



Hawk-Eye, o sistema por detrás da tecnologia da linha de golo

Chama-se Hawk-Eye, termo inglês para "olho de falcão". É o sistema por detrás da tecnologia da linha de golo, que ajuda os árbitros de futebol a determinar se a bola passou ou não a linha de baliza na sua totalidade. Para além de servir de apoio aos árbitros de várias ligas europeias, incluindo a portuguesa, o Hawk-Eye pode ser encontrado na maior parte dos desportos organizados de alta competição, sendo utilizado anualmente em mais de 20 mil eventos profissionais. E se no futebol tudo parece incerto, desde o resultado até à mais recente aposta na Betway, há pelo menos uma coisa em que todos podemos confiar: na tecnologia imparcial que assiste os árbitros e atletas. Mas como funciona?


Espectador atento

Detido pela Sony, o sistema Hawk-Eye surgiu pela primeira vez em 2001, em transmissões televisivas de críquete. Apenas mais tarde passou a ser utilizado por várias outras instituições e modalidades, desde o futebol americano até ao basquetebol. Basicamente, o Hawk-Eye encontra-se presente sempre que uma bola faz parte do jogo, e precisa de apenas 6 a 7 câmaras para operar na sua totalidade. Com 6 a 7 olhos atentos no jogo e focados na bola, o sistema Hawk-Eye consegue operar autonomamente através de triangulações, que identificam a todo o instante a posição exacta do esférico no campo de jogo e dão origem a modelos virtuais 3D. É por isso que estas câmaras conseguem perceber com exactidão quase total se a bola passou ou não a linha de baliza. A margem de erro do sistema Hawk-Eye é extremamente reduzida (abaixo dos 4 milímetros) e o sistema é por isso visto como um mecanismo imparcial de mediação desportiva. Foi introduzido na Premier League inglesa em 2013, e chegou à Bundesliga da Alemanha apenas dois anos depois.


1 em 9,000

Hoje tido como uma ferramenta essencial no mundo do futebol, o sistema Hawk-Eye está longe de ser uma controversa tecnologia de apoio ao desporto. No entanto, após o final da presente edição do campeonato inglês, um jogo entre o Sheffield United e o Aston Villa terminou empatado a zero devido a um erro da tecnologia da linha de golo. Qualquer adepto que aposte na Betway percebe de probabilidades, por isso que tal estas? Em cerca de 9,000 jogos de futebol já realizados, esta foi a primeira vez a tecnologia da Hawk-Eye foi incapaz de ajudar a validar um golo.

São odds dignas de um jackpot na Betway, mas que não agradam ao Bournemouth, clube que acabou despromovido à segunda liga, com apenas menos 1 ponto que o Aston Villa (clube beneficiado pelo erro da Hawk-Eye). Os responsáveis pela tecnologia já pediram desculpa a todos os lesados, mas segundo a BBC, o caso pode mesmo chegar a tribunal. Servirá certamente como lembrete: por mais fiável que uma tecnologia possa ser, há sempre espaço para erros. Apesar deste lapso excepcional, o sistema de Hawk-Eye continuará a assistir árbitros de todo o mundo e a contribuir para a verdade desportiva. Para já, no entanto, pode relançar de forma inesperada a luta pela manutenção na já finda Premier League.

Sem comentários